terça-feira, junho 13, 2006

Reflexão sobre a torcida japonesa

É esquisito o jeito que os japoneses se comportam numa Copa do Mundo. É bem diferente mesmo do brasileiro.

Eles são super nacionalistas, mais que no Brasil. E colocaram um peso enorme nos ombros dos rapazes lá na Alemanha. Durante o jogo, vibram a cada passe e lamentam muito cada erro, mas tem uma coisa - nunca vão xingar ninguém, nem o jogador que errou, nem o juiz ladrão, nada.
Eles acham feio se os jogadores fizerem cera, ou simular falta. Ontem ficaram um bom tempo criticando o próprio gol feito pelo Nakamura, dizendo que na verdade foi irregular. Pô, comemora e depois vê isso, uai.
Posso dizer com toda a certeza que não é só a torcida assim, os jogadores também. Eles acham errado reclamar do pênalti que o árbitro não marcou, como não reclamaram ontem, e não se sentem à vontade enrolando e esfriando o jogo numa situação de domínio do adversário, como ontem. Muito esquisito.
Eu até entendo, vivendo aqui, como eles pensam - querem ganhar limpo, com sacrifícios mas com superação. Têm orgulho de seus valores, algo intangível, algo que era o modo de vida de samurais e que também tornou possível toda a reconstrução deste país no pós-guerra. Existe até um termo em japonês para isso, yamatodamashii.
Eu acho isto muito bonito, e muito civilizado, e por isso a sociedade funciona. Mas, pelo menos no futebol, isso é muito quadrado. Jogar a Copa do Mundo assim, sem malícia, acho que não funciona. Nem com Zico, nem nada. Aliás, como o Zico trata com isso, será que ele enxerga alguma coisa assim? E a questão nem termina só aqui, é muito mais complexa. Ufa, falei.

Um comentário:

afonso disse...

Já vi o Zico dando entrevista dizendo que o Brasil é maravilhoso, mas é só pra passear. Ele disse que não ia querer estar trabalhando enquanto alguém fica te xingango. Portanto acho que o kjhajhdcavf...(esqueci o nome) já pegou no Zico.